Colaboração Institucional e com a Comunidade

Colaboração Institucional e com a Comunidade

Boas Práticas e Responsabilidade Social

O Livro Verde sobre Responsabilidade social e instituições de ensino superior, encontra-se disponível para Consulta Pública. Este documento provisório, que agora é apresentado para discussão pública, resulta do trabalho colaborativo, em rede, entre trinta instituições de ensino superior que acederam ao desafio para integrar o Observatório sobre Responsabilidade Social e Ensino Superior (ORSIES), num projeto dinamizado pela Forum Estudante, em parceria com a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

  Versão provisória para consulta pública

Boas Práticas e Responsabilidade Social no IPSantarém

 


A Tertúlia do IPSantarém

Espaço cultural que desenvolve e apoia atividades culturais, artísticas, socioeducativas, turísticas…

Partindo do estudo da realidade, tem-se como objetivo criar dinâmicas que integrem o mais possível estudantes e trabalhadores/as das cinco escolas superiores e dos Serviços de Ação Social do IPSantarém, aproveitando e valorizando espaços e outros recursos disponíveis, para a realização de atividades e projetos de animação sociocultural, com a comunidade académica, com pessoas e entidades da comunidade local, num princípio de cooperação e trocas solidárias, com vista ao desenvolvimento local e regional.
A Tertúlia situa-se nas traseiras do Complexo Andaluz e a Tertúlia Lounge é um espaço contíguo ao Refeitório do IPSantarém (junto ao multibanco).
Coordenação: Ana da Silva
Contactos: tertulia@ipsantarem.pt | 919681113

 


 Cultura Avieira

No âmbito do Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos – PROVERE/QREN – foi apresentado um projecto de investimento à CCDR do Alentejo, no dia 19 de Janeiro de 2009, por um consórcio constituído por 39 entidades, com base na cultura Avieira do Tejo e do Sado.

A proposta de investimento prevê investir 30 milhões de euros; criar a primeira Rota turística do Tejo, com base na cultura dos Avieiros; recuperar todas as aldeias Avieiras do Tejo; construir aldeamentos turísticos desde a Azambuja até à Golegã; promover investigação universitária sobre a viabilidade dos recursos do Tejo; construir no Cartaxo o Museu do Tejo; recuperar o dique de 20 Km que liga os concelhos de Azambuja, Cartaxo e Santarém; melhorar substancialmente os aeródromos de Santarém e de Benavente; adquirir dois aviões anfíbios para concretizar a ideia da Rota dos Avieiros que inclua o trajecto aéreo; assegurar os transportes de turistas por via fluvial, rodoviária e aérea; e dinamizar um eixo fundamental para o desenvolvimento económico regional, com base no rio Tejo.

O conceito fundamental é o da integração de várias actividades económicas tendo por base integradora a cultura Avieira do Tejo e do Sado.O produto que se propõe construir é um modelo de desenvolvimento fundamentado na cultura Avieira e no turismo.

A ser aprovada a intenção de investimento prevê-se que o Tejo e toda a zona ribeirinha nunca mais serão os mesmos, desde o grande estuário do Tejo até à Golegã, passando por Valada e pelo Escaroupim. O consórcio de 39 entidades, liderado pelo Instituto Politécnico de Santarém, integra 20 empresas e investidores individuais – todas PMEs – cinco Câmaras Municipais, duas Universidades, quatro institutos de nível universitário, dois aeródromos privados, duas paróquias, três associações para o desenvolvimento e uma associação empresarial.


   Orbis

O «Orbis inovação» do IPSantarém é um programa de investigação, formação e intercâmbio,

Dessa complementaridade, resulta a criação de produtos, a realização de workshops, a elaboração e acompanhamento de planos de negócio.

A criação de produtos para empresas é realizada por professores e alunos, em conjunto com parceiros internacionais e setoriais, que procuram realizar projetos e resolver dificuldades concretas de empresas e instituições.

Os workshops sobre criação de produtos, de negócios e de atividades, e outros temas, são dirigidos a quadros de empresas e instituições, e candidatos externos. Nos workshops promove-se a aquisição das competências de criação e desenvolvimento de produtos e serviços, através da demonstração e do treino.

Os planos de negócio envolvem o spin-off de projetos académicos de alunos e ex-alunos, de licenciaturas e mestrados. São também elaborados, por equipas específicas, planos de negócio, de marketing e de comunicação, por encomenda de empresas e de investidores, e feito o seu acompanhamento.

Na vertente investigação estuda-se a criação de produtos, na perspetiva científica, e trabalha-se com as empresas para definir e aplicar modelos adaptados de criação de produtos.