PORTUGAL POLYTECHNICS INTERNATIONAL NETWORK – PPIN

PORTUGAL POLYTECHNICS INTERNATIONAL NETWORK – PPIN

PROJETO POCI-02-0752-FEDER-046021

 

Data de aprovação: 21.04.2020
Data do termo de aceitação: 02.06.2020
Data de início: 22.07.2020
Data de conclusão: 22.07.2022
Custo total elegível: 1.420.409.45€
Apoio Financeiro da União Europeia: 1.207.348,03€ (85%)
Apoio Financeiro Público Nacional/Regional: 213.061,42€ (15%)

Beneficiários: Instituto Politécnico do Porto (Líder); Instituto Politécnico de
Beja; Instituto Politécnico de Bragança; Instituto Politécnico de Castelo
Branco; Instituto Politécnico do Cávado e Ave; Instituto Politécnico de
Coimbra; Instituto Politécnico da Guarda; Instituto Politécnico de Leiria;
Instituto Politécnico de Portalegre; Instituto Politécnico de Santarém; Instituto
Politécnico de Tomar; Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Instituto
Politécnico de Viseu; Escola Superior de Enfermagem de Coimbra; Escola
Superior de Enfermagem do Porto.

O PROJETO

Considerando o desenvolvimento e a maturidade do Sistema de Ensino Superior
Politécnico (ESP) português; a sua cobertura geográfica e a diversidade de áreas
e domínios científicos com capacidade instalada; a experiência e dinâmica
adquiridas como resultado da participação conjunta em redes internacionais, no
geral, e no projeto Portugal Polytechnics (SIAC Internacionalização), em
particular; o significativo incremento da dimensão internacional do ESP
português; e as sinergias existentes com empresas/tecido empresarial e
instituições regionais, que concretizam, na sua essência, a vocação do sistema
politécnico, torna-se crucial implementar medidas que possam, por um lado,
promover o desenvolvimento desta política, e, por outro, aprofundar os
mecanismos que potenciem não só a internacionalização das IES, mas também
a internacionalização da economia portuguesa, e a cooperação para o
desenvolvimento.
Assim sendo, propõe-se que as medidas a implementar possam ser estruturadas
em objetivos distintos, mas complementares, não só visando contribuir para o
reforço da internacionalização da economia regional e nacional, mas também
para a manutenção demográfica e para a afirmação internacional do ESP e do
sistema científico e tecnológico português, assegurando simultaneamente a
sustentabilidade futura das ações preconizadas.

AS ATIVIDADES

1 – Criação de uma rede de embaixadores que potenciem o estudo aprofundado
e definição das características do mercado-alvo que se pretende
penetrar/aprofundar
2 – Criação dos Prémios ESPP para reconhecer o incremento presencial
simbiótico do ESPP conjuntamente com o tecido empresarial nas distintas
regiões do mundo
3 – Desenvolvimento de uma plataforma de partilha de conhecimento e
capacitação sobre os mercados externos
4 – Ações de partilha do conhecimento com o tecido empresarial sobre
oportunidades detetadas pela rede e a capacitação do tecido empresarial
preparando-o para a internacionalização
5 – Realização de eventos de internacionalização do tecido empresarial
português
6 – Elaboração de relatórios periódicos, distribuídos trimestralmente: aos
membros da rede; ao tecido empresarial nacional; aos membros do governo
interessados no domínio da rede
7 – Desenvolvimento do marketing digital dirigido
8 – Gestão Global do Projeto