notícias
Aluno do IP Santarém representa Ensino Politécnico na 17ª edição da CULTIVAR
Publicado em 2019/12/13

 

Aluno do IP Santarém representa Ensino Politécnico na 17ª edição da CULTIVAR

Santarém, 11 de dezembro de 2019 – No âmbito da 17ª edição da CULTIVAR, dedicado ao tema “Ensino Agrícola”, o Instituto Politécnico de Santarém fez-se representar através da participação do aluno Afonso Pereira da Silva, estudante da ESA – Escola Superior Agrária -, que marcou presença em representação do Ensino Politécnico Agrário a nível nacional.

 

Num evento que decorreu no passado dia 6 de dezembro, nas instalações do Instituto Superior de Agronomia de Lisboa, e que teve como objetivo promover uma reflexão sobre os múltiplos procedimentos e métodos inerentes ao ensino agrónomo e das ciências agrárias, o estudante do IP Santarém que integrou o painel de oradores, pautou a sua intervenção pela partilha da experiência enquanto aluno de ensino politécnico no curso de agronomia, mas também identificando aqueles que são os aspetos a melhorar especificamente nesta área de ensino.

 

“Considero este tipo de iniciativas muito positivas, não só porque permite dar voz aos estudantes, mas também pela partilha de experiências e conhecimento entre alunos e professores. Sinto-me orgulhoso por ter vindo representar o IP Santarém, nomeadamente, a ESA. Escolhi o IP Santarém porque desde considerei que era onde poderia adquirir as ferramentas necessárias para atingir os meus objetivos e até agora tem correspondido às expetativas. No entanto, a nível geral no ensino agrícola acredito que existem muitos aspetos a melhorar”, afirma Afonso Pereira da Silva, estudante do IP Santarém.

 

Numa edição onde se pretendeu refletir sobre a atual abordagem da agricultura em todos os níveis de ensino, desde o básico ao universitário, o painel de oradores contou com a participação de vários especialistas de empresas e instituições de ensino ligadas ao setor agrícola. Os espetros das intervenções visaram responder diversas a questões, como por exemplo, de onde vêm e qual é a motivação dos alunos que querem estudar estes temas, o que estão as instituições a ensinar e como transmitem o conhecimento, ou do que precisam os agricultores e as empresas agrícolas nesta matéria, entre muitas outras.

 

Para Afonso Pereira da Silva, que partilhou o palco com outros três alunos do ensino superior, profissional e secundário, um dos aspetos a melhor no futuro está na relação escola/aluno, “nós alunos temos de intervir mais, ser mais participativos nos projetos e na vida da instituição de ensino que frequentamos de um modo geral, não nos podemos limitar a criticar, temos de agir. O futuro passa por aí”, reforça o aluno do IP Santarém.

 

A atual tendência de reforço do interesse das áreas científicas e tecnológicas e a necessidade disso se refletir na área agronómica, a importância do carácter multidisciplinar do próprio curso de agronomia e da crescente especialização que se verifica nas restantes ofertas de engenharia foram outros dos temas abordados pelos convidados ao longo desta sessão.